segunda-feira, 31 de março de 2008

POETAS PELA PAZ E PELA POESIA (I )


PAZ E POESIA

Foi emocionante constatar a verdade dos versos de Raul Seixas:

"Sonho que se sonha sozinho, é só um sonho.
Sonho que se sonha junto é realidade"

Os poetas de Belo Horizonte agregaram à sementinha de minha idéia de celebrar a PAZ com poemas e origamis (*), novas idéias e o totem poético foi crescendo,Claudio Márcio Barbosa,além pensar numa "Chuva de Poesia"pensou na distribuição de livros embrulhados para presente, que seriam doados aos artesão e artistas da feira de artesanato, da Av.Afonso Pena.Pois março, além de celebrar a mulher e a poesia, também festeja o artesão.

Marco Llobus sugeriu que os poetas subissem a Rua da Bahia.Pensamos num sarau aberto, outras sugestões, reuniões, trabalho em comum, de Bilás Bernardes e eu que fomos à Fundação Municipal de Cultura solicitar espaço para o recolhimento de livros , a Ângela Togeiro, que solicitava livros às Poetas das academias das quais faz parte, a Brenda Marques, embora às vésperas de uma performance na Lagoa do nado em homengem às mulheres,de um concurso na Assembléia, a Silvia Araújo Motta, que queria faixas e ficara encarregada de obter licença para o sobrevôo de um helicóptero, mas esbarrou nos entraves burocráticos, na leis, a Tânia, filha de Bilá, que abriu um e-mail de grupo, para recebermos os poemas e nos comunicarmos mais especificamente, a Leo Santana que filmou tudo no dia e doou dezenas e dezenas de seus livros de poesia.Marco Llobus fotografou.Este, diagramou os poemas de quatro em quatro.Trabalhou além do prazo.

Cento e cinquenta e dois poetas do Brasil e do Mundo mandaram dois poemas,
Um de cada foi impresso.Espermaos colocar dois na antologia histórica.
mandava-me para revisá-los.Depois de tudo pronto, a gráfica pediu os poemas diagramados um a um.Nova formatação e revisão.Agregados à emoção de ir abrindo os e-mails e descobrindo poemas e poetas, de todos os gêneros poéticos.Homenageei a trova-onde comecei a poetizar a vida e completei com um haikai.Llobus homenageou D.Joana Guiga, que há dias, completara seu tempo aqui na Terra...


Semana de agenda cheia, a casa brecha de tempos, postarei alguns dos poemas e seus autores.
Alguns, por motivos de força maior, não estiveram em todas as reuniões,mas tivemos Rosa Negra, Marcia Cristina Simões,Zé Ênio (do UNIAC), Ricardo Evangelista ,coordenador dos saraus de poesia da Lagoa do Nado(Centro de Cultura),que doou páginas de poemas do seu "Embornal de Sons",que ele chama de "refugo da gráfica", na verdade, um luxo.

Claudio Márcio recolheu os poemas,fizemos um mutirão, onde Juan Fiorini agregou-se a Ana Alcântara e nós (Claudio, Ângela Togeiro, que catalogou os livros doados por título e autor,Léo, Ênio,Bilá, para embalar os livros.Claudio havia nos mostrado - contentes ficamos - o alvará para a ação na feira de artesanto, devidamente carimbada, assinada e selada.Silvia Motta, depois de enfrentar maratona burocrática,
mostrou seu desapontamento porque tinha vontade de colocar faixa e obter a autorização para o helicóptero sobrevoar a feira.
No entanto, a metáfora, aconteceria, conforme aconteceu.
Maravilhosa distribuição :PAZ e POESIA...

Vários poetas reuniram-se desde as 9h, no antigo abrigo de bondes (esquina da Av.Afonso Pena com Rua da Bahia: Claudio Márcio Barbosa, Graça Campos,Wagner Torres e a filha Luana Dandara, Bilá Bernardes e a filha Tânia, Rogério Salgado e Virgilene Araújo, Heleide, Almira, Regina Mello,Maurício,Terezinha Romão,Ana Alcântara,Marco Aurélio Lisboa, Ricardo Evangelista e Sueli Silva, Neuza Maria Ladeira,Juan Fiorini, Ângela Togeiro e eu, depois chegaram outros, Tânia Diniz e a filha poeta Carol...Vou listar todos e depois publicarei a lista completa.

A foto , depois que os poetas escreveram versos uns nos outros.
Segundo Claudio Márcio, o ,momemto mais bonito.
Eu gostei muito de conversar com os artesãos e artistas.Pedi que cada um dos participantes, me mande sua impressão, para colocar aqui.

PAZ e POESIA:

30032008- uma data histórica para os poetas...E vamos repetír a CHUVA DE POESIA.Metáfora de número e emoção.Ou, quem sabe, um dia, uma chuva do alto?

Clevane Pessoa de Araújo Lopes

Diretora regional do InBRasCI em BH/MG

Agradecimentos especiais aos parceiros e divulgadores, devidamente constantes no versos dos poemas e, em especial, à Gráfica editora O LUTADOR que imprimiu em papel couché nossos filhos em versos.

3 comentários:

zanzara disse...

infelizmente não pude comparecer, mas fiquei sabendo do sucesso!!!!! parabéns clevane!!!

Lecy Pereira disse...

O Brasil necessita de um exército de pessoas como Clevane. O alistamento é livre.

A.Lana disse...

Linada iniciativa. Fruto de um sonho sonhado junto. Que vocês possam sempre levar a paz e a poesia como ecudo de amor. Um grande abraço, Anísio - Gaspar, SC.