domingo, 20 de julho de 2008

Rozelia Scheifler Rasia-A Carranca


A carranca



Rozelia Scheiler Rasia





A pele e os olhos negros,

O cabelo grisalho despenteado,

Dor, pobreza, preconceito

Esculpiam a carranca.



Na corcunda, o peso da exclusão.

Com passos lentos, mãos trêmulas,

A mulher chega ao portão.



Ao ver um menino de pernas tortas

Chutar uma bola de trapos,

O sorriso iluminou o rosto da avó.





*Poesia publicada na Coletânea ‘Palavra de Abril’ ALPAS XXI – Cruz Alta - RS

2 comentários:

PoesiasnoRioGrande disse...

Clevane

A literatura nacional agradece a tua atuação em prol dos autores atuais, principalmente, daqueles que procuram espaços para divulgar suas letras.
Um poético abraço,
Rozelia Scheifler Rasia
gaya.rasia@hotmail.com

PoesiasnoRioGrande disse...

Amigos

Este espaço está aberto à divulgação de poesias.
Gaya Rasia